Fernando Pellon marca presença na Escola Portátil de Música

Aldir Blanc fala sobre Fernando Pellon
28 de agosto de 2017
Show em São Paulo comemora sucesso do disco “Cadáver pega fogo durante o velório”
6 de março de 2018

 

O compositor Fernando Pellon participou, neste mês de dezembro, da festa de final de ano da Oficina de Canto da Escola Portátil de Música (EPM)/Núcleo Casa do Choro, que ele frequenta desde o ano passado, a fim de aprofundar o seu conhecimento com a linguagem do samba e do choro.

O evento aconteceu no Auditório Radamés Gnatalli, durante o qual Fernando Pellon cantou duas músicas: “Velho realejo” (Custódio Mesquita/Sady Cabral) e “Avenida fechada” (Elton Medeiros/Cristóvão Bastos/Antonio Valente), acompanhado ao violão por Miguel Rabello.

Coordenado pela cantora Amélia Rabello, a Oficina de Canto da EPM é ministrada por meio do estudo de obras de choro e samba de compositores clássicos e contemporâneos, e os principais intérpretes desses gêneros de música.

Em clima de confraternização, Fernando Pellon citou o trabalho de Amélia Rabello. “Ela é extremamente competente e muito generosa em compartilhar seu vasto conhecimento sobre música popular brasileira. O repertório por ela selecionado é de excelente qualidade e vem acompanhado das gravações originais e de dados biográficos sobre os intérpretes e compositores”, disse o compositor.

Amélia Rabello tem no currículo participação em discos de importantes compositores, como Paulo César Pinheiro, Paulinho da Viola, Cristovão Bastos, Moacyr Luz e Caetano Veloso que compôs para ela o “Samba pra Amélia”.

Pellon contou que resolveu fazer o curso de canto na Casa do Choro, por causa da proposta musical que a escola oferece. “É gratificante frequentar o ambiente de qualidade que é a Casa do Choro, onde é possível assistir a excelentes shows no Auditório Radamés Gnattali e participar de rodas de choro no Espaço Dino, Meira e Canhoto”, afirmou.